NOTA DE FALECIMENTO – RUTH DE SOUZA

 

 

A Cinemateca Brasileira lamenta o falecimento de Ruth de Souza (1921 – 2019), consagrada atriz com mais de 70 anos de carreira.

Pioneira no teatro, cinema e televisão, é a primeira atriz negra a se apresentar no Theatro Municipal do Rio, em 1945 com “O Imperador Jones”, primeira peça apresentada pelo Teatro Experimental do Negro, organizado pelo escritor e dramaturgo Abdias Nascimento (1914-2011). Em 1949, inicia carreira no cinema nas produções do estúdio Atlântida, em “Terra Violenta” (1948), de Edmond Francis Bernoudy, baseado no romance “Terras do sem-fim”, de Jorge Amado. Aos 32 anos, recebeu o “Prêmio Saci” e foi indicada a melhor atriz no Festival de Veneza de 1954, por sua atuação em “Sinhá Moça” (1953), de Tom Payne e lançado pelo estúdio paulista Vera Cruz.Na década de 50, começa a atuar nos teleteatros e radionovelas da TV Tupi e Record. Em 1969, torna-se a primeira protagonista negra na televisão na telenovela “A cabana do Pai Tomás”, produzida e exibida pela Rede Globo. Sua carreira conta mais de trinta longas-metragens, mais de 25 peças de teatro e cerca de 30 telenovelas.

 

Sinha moça (1953), de Tom Payne

TV Tupi – Telejornal Imagens do Dia (17/04/1956) “Ruth de Souza visita exposição do artista plástico Carmélio Cruz numa galeria na rua Augusta.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Favela (1961), de Armando Bó

Ravina (1959), de Rubem Biáfora